Carlo Barbieri
Posted on agosto 26, 2018, 6:44 pm
5 mins

O Brasil sempre foi um grande mercado e qualquer empresa aqui leva anos para poder ocupar este mercado, se acomodando em relação à qualquer expansão internacional.
Entretanto o Brasil vem enfrentando uma crise de grandes proporções e com perspectivas de longa duração, o que inibe muito o crescimento das empresas no país. E é um país que já se mostrou que sempre terá crises duradouras, pelo seu sistema político, que se mostra bastante resistente a qualquer tipo de mudança mais significativa.
Por outro lado, as marcas brasileiras não tem praticamente nenhuma força internacional, mesmo para as empresas de médio e grande porte, porque o Brasil não é visto de forma geral como um exportador de marcas, e sim de matérias primas e ou de produtos para outras marcas.
Empresas que aqui são ícones nos seus setores, não tem nenhuma expressão internacional. Podemos elencar diversas marcas fortes aqui que provam isto, como O Boticário, Natura, Habib’s, Bob’s, Kopenhagen, entre outras.
No mercado internacional, pelo contrário, ou a marca nasce num mercado muito menor, como algum país europeu e logo vai para outros países, ou nasce em economias muito abertas e agressivas internacionalmente, como a americana.
As empresas chinesas ou indianas tem o mesmo problema que as empresas brasileiras. Nascem em mercados grandes, economias fechadas, e tem muita dificuldade em se expandir para outros países.
Os Estados Unidos, além de serem um grande mercado, são uma das economias mais abertas do mundo, facilitando a entrada de qualquer empresa.
Esse é o principal motivo por que empresas brasileiras estão indo para os Estados Unidos. Pela facilidade de entrada, principalmente para quem entra pela Flórida, depois pela força deste mercado, que permite ganhos de escala quatro vezes superior ao Brasil, e também pela exposição mundial da marca, pois como é uma economia muita aberta, se torna uma vitrine mundial para qualquer marca. E é isto principalmente que as empresas brasileiras não têm esta visibilidade internacional.
Os Estados Unidos são um atalho para qualquer empresa que queira conquistar o mundo e isto tem um valor inestimável.
São um mercado muito competitivo, entretanto, exigindo muito esforço e qualidade para competir com marcas do mundo inteiro que chegam naquele país. Mas isto muitas empresas brasileiras tem!
O mercado americano é também uma escola de negócios. As empresas vão aprender a serem mais competitivas, mais produtivas, mais eficientes. É uma das economias mais eficientes do mundo.
No Brasil, as empresas se acomodam. Estão acostumadas a repassar suas ineficiências nos preços, e nosso consumidor acostumado a pagar caro, pois não tem muitas opções.
Nos Estados Unidos não, quem é ineficiente não sobrevive. Tem muitas gente competindo com qualidade e com preços supercompetitivos.
Existem outras razões que levam as empresas a irem para os Estados Unidos. Muitos empresários estão olhando para o lado pessoal também!
No fundo por motivos diferentes, nunca se viu uma leva tão grande de brasileiros, principalmente empresários, querendo viver nos Estados Unidos.
São diversas as razões, mas as principais que podemos elencar são as seguintes:

  1. Falta de perspectiva para o Brasil para os próximos anos
  2. Falta de segurança pessoal
  3. Decepção total com o país e com os políticos
  4. Oferecer futuro melhor para seus filhos

No fundo juntam dois fatores muito fortes. Perspectiva financeira e qualidade de vida, muito melhores do que no Brasil. Aí a noção de pátria muda! Pátria hoje em dia é o país que te dá qualidade de vida e perspectiva para seus filhos. Por isto levas de refugiados invadem a Europa. Levas de mexicanos invadem os Estados Unidos. Se continuar assim, não duvido que uma leva de brasileiros invadirá os Estados Unidos.

Carlo Barbieri
Empresário e Consultor

CEO do Grupo Oxford Carlo Barbieri é formado em Economia e em Direito e fez mais de 60 cursos de especialização no Brasil e no exterior.

Leave a Reply

  • (not be published)