Lineu Vitale
Posted on agosto 04, 2017, 10:00 pm
7 mins

Você está preparando seus filhos para fracassar nos negócios da família? Ou alcançar sucesso profissional? Pense na hipótese de montar uma rede segura, ao invés disso.

Você reconhece algum erro nestes cenários:

1- Você quer que o seu filho recém-formado aprenda a alma dos negócios partindo do primeiro degrau e, portanto o designa como auxiliar de estoque durante seis meses:

2- Você e sua filha, que nos últimos três anos vem se mostrando uma excelente comerciante numa outra empresa, decidem que é o momento de associá-la aos negócios da família. Você a encaixa no departamento de contabilidade;

3- Com seu curso universitário recentemente concluído em administração de empresas, o seu filho começa a trabalhar no negócio familiar e você o nomeia chefe de fabricação.

O erro está no fato de você estar levando o seu filho involuntariamente ao fracasso profissional.

Não há nada de errado em querer que o seu filho aprenda todos os aspectos da sua empresa e alcance sucesso profissional. Porém designar um recém-formado para o estoque pode desanimá-lo e destruir o espírito de alguém que aspira pelo que considera “projetos mais importantes”. Está bem, você não quer que alguém pense que você está favorecendo o seu filho, porém você há de convir que não contrataria um recém-formado para trabalhar na seção de estoques, o que vem a ser também inapropriado para o seu filho.

Ao mesmo tempo, seria útil permitir que sua filha, até então notável comerciante em outra companhia, exercesse suas habilidades agora nos negócios da família. Conhecer o funcionamento de um departamento de contabilidade pode vir a ser útil mais tarde, porém permitir que ela exponha suas notáveis aptidões noutra área, no caso comercialização, seria menos frustrante do que limitá-la a uma função, para ela pouco interessante.

Concluindo, designar um recém-formado ao controle de fabricação antes de ganhar a experiência necessária, desmoralizaria os funcionários supervisionados por ele, além do que prejudicaria seu próprio filho atrasando o seu sucesso profissional, pelo excesso de responsabilidade exigida e pela inexperiência no setor.

 

Decisões mal tomadas                                                          

Por que os proprietários de empresas tendem a tomar decisões tão irracionais quando se trata de contratar e supervisionar seus próprios filhos?

Ivan Lansberg, uma psicóloga organizacional de New Haven, Connecticut, especializada em negócios de família, explica que os pais muito ligados aos seus negócios sentem frequentemente uma combinação de orgulho e ressentimento em relação aos possíveis herdeiros. “Em famílias mais funcionais, o orgulho é dominante. Em famílias menos funcionais, domina o ressentimento”, ele afirma. Quando o ego do pai não tolera a ideia de que um filho possa fazer algo melhor do que ele, problemas tendem a surgir.

Na maioria das vezes, os filhos de fundadores ou proprietários querem demonstrar sucesso profissional e ansiosamente provar a si mesmos a sua independência e ganhar credibilidade perante os funcionários e seus pais. Mas nem sempre isso se torna possível.

Os filhos tendem a falhar por não estarem preparados para uma função subordinada ou por não ter um emprego bem definido. Outras vezes, devido à ambição, tentam colher os frutos de suas posições antes de estarem preparados para tal intento. Ou ainda, o medo natural dos grandes desafios pode levá-los a desistir.

 

Educando para o Sucesso

 

Se você pretende educar os seus filhos para que atinjam o sucesso profissional nos negócios da família, considere as seguintes sugestões:

 

Dê oportunidade ao seu filho para que ele possa ganhar sua experiência em outra empresa antes de associar-se ao seu negócio e para que descubra como funciona o mundo empresarial, seus pontos fortes e fracos, assim como novas ideias que possam ser usadas mais tardes no seu próprio meio;

Supervisione todos os funcionários, sejam eles filhos do fundador ou não. Escolha a pessoa mais apta para o cargo para que sua empresa obtenha a melhor produtividade.

Não dê muita responsabilidade nem muita autoridade ao seu filho recém-admitido. Antes disso, treine-o com um de seus funcionários mais experientes a fim de transmitir-lhe segurança.

Forneça as ferramentas para o sucesso. Assegure-se de que todas as informações necessárias foram passadas ao seu filho para que ele execute uma determinada tarefa adequadamente. Isso inclui acesso às informações financeiras, funcionários experientes e você;

Não hesite em delegar tarefas de risco ao seu filho, pois a partir dos riscos ele pode desenvolver o seu potencial. Os riscos implicam possíveis falhas. Tente limitá-las ao máximo antes de qualquer atividade, discutindo bem os planos ou estabelecendo limites nos recursos ou no tempo desperdiçados.

Deixe que ele aprenda com os erros cometidos. Não importa as causas, qualquer discussão do problema deve incluir formas de correção e novos procedimentos para que um fracasso leve ao sucesso.

Leave a Reply

  • (not be published)